Usando intervenção humana e tecnologia para garantir a realização do teste

COO da uExamS , um fornecedor mundial de soluções de suporte de teste e treinamento.

A Covid-19 e seu isolamento resultante forçaram o mundo a entrar em ambientes remotos de trabalho, educação e treinamento, criando um aumento sem precedentes no uso de serviços de supervisão remota. Escolas e outras instituições de ensino superior são forçadas a mudar suas aulas online para facilitar o aprendizado à distância. Os próprios alunos estão cada vez mais se inscrevendo em aulas online e optando por cursos que oferecem programas híbridos.

Mesmo assim, a necessidade de manter a integridade de várias profissões e fornecer certificação profissional e exames de licenciamento não mudou. Por conta dessa mudança para supervisão remota, o tamanho do mercado global de Serviços de Procuradoria Online para Educação Superior deverá crescer a uma taxa composta de crescimento anual de 16,3% entre 2021 e 2025 .

Monitoramento Remoto: Uma Necessidade Reanimada

Embora a supervisão presencial tenha ficado em segundo plano, os fiscais online estão aqui para ficar. E eles são extremamente importantes. Estudos mostram que os participantes remotos não treinados, assim como os participantes em uma sala de aula presencial ou centro de testes sem supervisão, têm muito mais probabilidade de se envolver em atividades proibidas ou outras formas de trapaça. Um inspetor permite um ambiente seguro para a realização do teste e evita fraudes de identidade e outras ofensas.

A fiscalização pode ocorrer na maioria dos dispositivos, sendo os requisitos uma conexão à Internet, um microfone e uma câmera para verificar a identidade do aluno. Um inspetor online, atribuído a um candidato específico, observa o ambiente do candidato para verificar a existência de dispositivos ou objetos proibidos e relatar possível conluio com outra pessoa.

Desafios de segurança na avaliação remota

Embora necessários para manter a integridade e proteger a propriedade intelectual das instituições educacionais, os serviços de monitoramento remoto se tornaram uma mina de ouro para hackers e cibercriminosos, exasperando alunos, professores e instituições de teste. Outros serviços de fiscalização amplamente usados ​​supostamente coletam uma série de dados pessoais de alunos e os vendem a terceiros. Da mesma forma, o software pode ser inferior, incapaz de detectar e mitigar o roubo de conteúdo.

Além disso, os próprios supervisores podem potencialmente violar a privacidade do aluno, usando sua posição de poder para instalar malware no dispositivo do candidato, cometendo roubo de identidade. Além disso, os supervisores geralmente administram os exames em suas casas e podem facilmente obter acesso às perguntas do exame. Esse tipo de roubo de conteúdo é especialmente comum quando as instituições não conseguem impor seus próprios protocolos de teste ao contratar supervisores externos. Não é novidade que muitos deles provavelmente não passaram por um treinamento intensivo ou tiveram experiência anterior de supervisão.

Essa falta de segurança provou ser um grande revés para os provedores de exames e instituições de ensino. Eles são forçados a investir recursos adicionais na criação de várias versões de um exame, enquanto se esforçam para manter a similaridade na dificuldade e a equivalência no conteúdo abordado. Depois que um banco de perguntas preparado é postado online, independentemente do seu tipo, ele se torna praticamente descartável e não pode ser reutilizado com segurança. Sem opção a não ser selecionar novas questões de teste constantemente, é impossível para os provedores de exames buscarem uma boa relação custo-benefício.

Depois, há os problemas técnicos que muitas vezes permanecem sem solução devido ao baixo desempenho do software ou equipe técnica insuficientemente qualificada. Muitos candidatos agitados deixaram comentários desfavoráveis ​​para vários serviços de supervisão online, denunciando-os em constantes falhas no site e em experiências insatisfatórias em geral.

Criando uma experiência de realização de teste mais segura e justa

Pelo lado positivo, os líderes do setor de educação podem tomar medidas para proteger suas instituições e fornecer exames online seguros, ao mesmo tempo em que se esforçam para criar uma experiência positiva de realização de testes para todos os alunos. A segurança / proteção de conteúdo do aluno e o monitoramento remoto não precisam ser mutuamente exclusivos. Aqui estão algumas estratégias importantes a serem consideradas pelas instituições ao criar um ambiente de teste seguro, protegido e justo:

1. Faça sua lição de casa. Pode ser hora de atualizar seu software. Pesquise suas opções e certifique-se de utilizar sistemas de supervisão remota seguros e eficazes que garantam a conformidade do teste, proteção da propriedade intelectual e integridade do aluno sem comprometer a privacidade do cliente e da instituição.

2. Faça uma abordagem equilibrada. Como COO de uma empresa que oferece soluções de teste e treinamento, observei que o equilíbrio é fundamental. Portanto, quando se trata de exames de alto risco, a solução de teste deve incluir um conjunto de recursos poderoso, como a combinação de elementos como tecnologia tradicional, intervenção humana e inteligência artificial. Um sistema de “freios e contrapesos” pode proteger as instituições e os participantes do teste e construir a confiança do mercado no aprendizado e teste remoto.

3. Verifique o treinamento dos supervisores. Com a alta demanda por supervisão remota, há uma corrida louca para contratar pessoas. O resultado geralmente é uma equipe de exames mal treinada. Os inspetores devem ser suficientemente treinados para proporcionar uma experiência tranquila ao usuário e devem ser bem versados ​​na administração e nos protocolos de segurança de seus exames e programas.

O aprendizado e os testes remotos podem ser uma grande oportunidade para instituições de ensino e treinamento. Certifique-se de que é uma vitória para sua instituição e seus alunos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here